27 de jan de 2012

e o sol brilhará, nesse meu coração.




Nem toda sirene é uma sinfonia.

É como cair da cama depois de um sono longo e fatigante, cair no concreto frio de uma cidade que não dorme. De lá eu olho o relógio, são 7h00 AM, ainda é cedo e não consigo voltar a dormir. Ouço marteladas e choros, motores e pedais, buzinas e o apito da padaria comunicando a nova fornalha de pães. A conversa dos homens, que mesmo não sabendo o nome um do outro, sabem para que time cada um torce. A musica nos ônibus misturado com os celulares de seus passageiros. A obra ao lado, que começa cedo e nunca termina. Os pássaros que são silenciados por carros com som alto e as propagandas se confundem em meio a tantas bicicletas e motos que circulam pelo bairro. As portas são trancadas e o “olá, tudo bem?” passa de uma pergunta a gesto de gentileza de quem não se importa com a resposta. Em um trabalho que te mata aos poucos, você vê pessoas virando robôs, curto circuitando até o ultimo fusível pra comprar coisas da qual não precisam na intenção de impressionar pessoas que não se importam. Vejo os cachorros latindo para cada folha caindo ao chão e a vizinha que já está varrendo a calçada à espera de alguém para contar as novidades. O frigorífico já estar serrando ossos e a buzina do carro da moça bonita de diz ‘oi’.

Paz.

Eu quero viver numa casa de madeira, perto de um lago. Onde eu possa dormir ás 22h00min e acordar ás 11h00min, adorando a sensação de abraço que o colchão me dar durante uma hora de preguiça ouvindo os pássaros cantando uma melodia de três acordes na arvore em frente à janela do quarto. Desafinar no banho com aquela musica que não me saí da cabeça. Almoçar no quintal numa mesa de madeira antiga na sombra de uma mangueira. Banhar no lago no fim da tarde por horas até os dedos se encherem de rugas e as cigarras começarem com sua musica noturna. À noite eu quero deitar numa rede com um longo bordado branco pra ler um livro e toda vez me distrair com a infinidade de estrelas que consigo ver. Quero adormecer olhando a lua e acordar com os primeiros raios de sol. Quero uma vida que eu possa ser bom pra você, continuar sendo verdadeiro, uma vida com amigos ao redor, quero viver onde o sol nasce e a felicidade surge.


2 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. Eu me dou a desculpa de não escrever porque esse mocinho já escreve tudo que penso. rsrsrs
    Belo texto, esse me fez lembrar de uma música que adoro, chamada Casinha Branca.

    "Eu queria ter na vida simplesmente
    Um lugar de mato verde
    Pra plantar e pra colher

    Ter uma casinha branca de varanda
    Um quintal e uma janela
    Para ver o sol nascer"

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...