18 de jan de 2011

Para que nele caiba o impossível.


Sempre achei que o amor, que o grande amor fosse incondicional. Que quando houvesse um grande encontro entre duas pessoas tudo pudesse acontecer… Porque se aquele fosse o grande amor, ele sempre voltaria triunfal… Mas nem todo amor é incondicional… Acreditar na eternidade do amor é precipitar o seu fim. Porque você acha que esse amor aguenta tudo, então de um jeito ou de outro você acaba fazendo esse amor passar por tudo…. Um grande amor não é possível. E talvez por isso é que seja grande – para que nele caiba o impossível.

Eu sempre achei que o amor, que o grande amor, fosse incondicional. Que quando duas pessoas se encontram, quando este Encontro acontece, pode trair, brochar, azar, todas as porradas… Sendo o grande amor, ele voltará triunfal, sempre. Mas não, nenhum amor é incondicional. Então, acreditar na incondicionalidade é decididamente precipitar o fim do amor. Porque você acha que esse amor aguenta tudo, então de um jeito ou de outro você acaba fazendo esse amor passar por tudo… E um amor não aguenta tudo. Nada nessa vida é assim. Daí você fala que esse amor não tem fim, para que o fim então comece. Um grande amor não é possível – e talvez por isso é que seja grande. Assim, nele obrigatoriamente cabe, tem de caber também o impossível. Mas quem acredita? Quem acredita no impossível? Se não apaixonadamente? Como a um Deus, incondicionalmente?




4 comentários:

  1. Que texto lindo *--*
    Li um monte de vezes, é que o amor confunde =S
    rs' adorei (:

    ResponderExcluir
  2. Grato.
    Se um dia entender o amor me explique, porque também não entendo.

    ResponderExcluir
  3. Eu nunca acreditei na incondicionalidade do amor. (A não ser o platônico). Acredito que o amor é o mais frágil dos sentimentos. Não vence nenhum obstáculo sozinho.

    ResponderExcluir
  4. Nuus ameii o textoo *-* , é gostariaa tbm de um dia entendeer o amor ;S

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...